top of page
Buscar

Dia Mundial e Nacional do Combate a Diabetes: Principal complicação ocular e opções de tratamento.


Assim como as demais datas da saúde, o Dia Mundial e Nacional do Combate a Diabetes não é diferente. Seu objetivo é promover discussões sobre os cuidados e prevenção da doença.


Segundo a Federação Internacional de diabetes, há cerca de 16 milhões de pessoas (com idade entre 20 e 79 anos) com diabetes no Brasil, e aproximadamente 5 milhões de pessoas têm diabetes não diagnosticada. Esses números alarmantes representam cerca de 1 a cada 10 brasileiros.


Diabetes


A diabetes é uma condição crônica na qual o corpo não consegue utilizar adequadamente a insulina produzida, seja devido a uma resposta imunológica que a destrói (tipo 1) ou à produção ou uso insuficiente (tipo 2).


A insulina é um hormônio importante que regula o nível de açúcar (glicose) no sangue e permite sua utilização como fonte de energia.


Os sintomas mais comuns da diabetes incluem: fome frequente, sede constante, vontade de urinar frequente, perda de peso, fraqueza, fadiga, mudanças de humor, náusea e vômito.


Saúde ocular


Quando falamos da saúde ocular, há um grupo de doenças oculares que podem surgir devido a complicações da diabetes, conhecidas como doenças oculares diabéticas. Algumas delas, inclusive, já foram mencionadas em publicações anteriores em nosso site. São elas:

  • Retinopatia diabética (RD)

  • Edema Macular Diabético

  • Catarata

  • Glaucoma


Retinopatia diabética


A retinopatia diabética é a principal dessas complicações, sendo também a principal causa de cegueira irreversível em pessoas na faixa etária economicamente ativa (15-65 anos).


A condição está presente na vida de 30 a 40% das pessoas com diabetes. Desse total, aproximadamente 7% desenvolvem outras complicações, como edema macular diabético.


Como podemos prevenir a retinopatia diabética?


Primeiramente, é importante entender como ela se desenvolve.


A hiperglicemia, sobretudo em diabéticos, ao longo do tempo, leva a um estreitamento e endurecimento dos vasos sanguíneos, além de vazamentos de fluido e sangue na retina.


Inicialmente, pode ocorrer inchaço e acúmulo de líquido na retina, levando a diminuição da visão.


Ao não fornecer oxigênio suficiente à retina, os vasos defeituosos desencadeiam a formação de novos vasos sanguíneos anormais e frágeis que podem romper, resultando em ações proliferativas que causam a perda progressiva da visão.

  • A retinopatia diabética é uma complicação séria para muitas pessoas com diabetes. Para preveni-la e proteger a visão, é essencial manter alguns cuidados:

  • Realizar um controle glicêmico rigoroso;

  • Adotar hábitos de alimentação balanceados;

  • Praticar atividades físicas;

  • Realizar consultas regulares ao oftalmologista, pelo menos uma vez ao ano ou conforme orientações médicas;

  • Manter o tratamento adequado para a diabetes, conforme orientações do médico endocrinologista.


Opções de tratamento


Ainda que não seja possível reverter os danos causados pela retinopatia diabética, a intervenção adequada e o acompanhamento médico são cruciais para preservar a visão e melhorar a qualidade de vida dos pacientes com a doença. Hoje, a medicina oftalmológica oferece tratamentos que visam frear seu avanço. Conheça um pouco sobre alguns desses tratamentos.


  • Controle da glicemia e pressão arterial:

Além de ser uma das possíveis medidas para prevenir da RD, o controle da glicemia também faz parte do tratamento. Manter os níveis de glicose no sangue dentro das metas pode ajudar a evitar microaneurismas, retardando sua progressão.


O controle da pressão arterial também é importante para a saúde dos olhos, pois o contrário pode agravar a retinopatia diabética.


  • Injeções intravítreas:

O tratamento com o uso de injeções intravítreas consiste na injeção de medicamentos diretamente no olho para ajudar a reduzir o inchaço e o vazamento de fluidos na retina.


Alguns dos possíveis medicamentos possuem fatores anti-crescimento do tecido vascular, que ajudam a prevenir a RD proliferativa.


  • Fotocoagulação a laser:

O tratamento de fotocoagulação a laser consiste na utilização de um feixe de laser direcionado à retina para diminuir o crescimento de novos vasos sanguíneos anômalos.


Esse procedimento também permite a redução de vazamentos de fluido e sangue provenientes dos vasos sanguíneos, característica principal do edema macular diabético.


  • Vitrectomia:

Em casos em que a hemorragia provocada pelos vasos sanguíneos lesionados é significativa, pode ser necessária a realização de vitrectomia.


A vitrectomia é um procedimento cirúrgico utilizado para a remoção do sangue e do vítreo que preenche a parte posterior do globo ocular.


Segundo o Manual MSD, a visão frequentemente melhora após a vitrectomia ser realizada. Ao contrário do laser, que raramente melhora a visão, mas que quase sempre impede futuras deteriorações.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page